Nosso projeto

PROJETO POLÍTICO CULTURAL EDUNEB

A editora universitária é o espaço que se constitui no elo entre a produção acadêmica e a sociedade alimentando a leitura de professores e estudantes, assim como de outros profissionais que necessitam compreender melhor o mundo contemporâneo e obter informação continuada e abrangente em qualquer das áreas do conhecimento.

A editora universitária enquanto órgão cultural, entendida como uma atividade organizada, estruturada sobre planos estratégicos deve exercer a indispensável autonomia editorial, administrativa, além de reforçar sua presença nos círculos de divulgação e distribuição do livro brasileiro, ter propostas organizacionais baseadas em conceitos de órgão cultural acadêmico, entender o livro universitário como empreendimento acadêmico/cultural e buscar cotidianamente o leitor.

Mais informações em nosso Regulamento interno.

PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO E EDITORIAL

PRESSUPOSTOS FUNDAMENTAIS

A editora universitária é um órgão suplementar, de natureza interdisciplinar, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), portanto, está a serviço do seu desenvolvimento institucional e da consolidação da sua função social que envolve:      1) Formar profissionais e cidadãos críticos, reflexivos, éticos, investigativos, comprometidos com o desenvolvimento e o bem-estar da sociedade; 2) Produzir conhecimento mediante a pesquisa e garantir sua disseminação; 3) Apoiar, de forma solidária, por meio da extensão, a resolução dos problemas da exclusão e da discriminação social, assegurando a emancipação dos atores envolvidos.

Todas essas vertentes de ação da universidade dependem do livro, da leitura e do pensamento crítico e reflexivo, justificando, assim, a existência da editora universitária, em sintonia com o Plano Nacional do Livro e da Leitura (Decreto Federal no. 7.559/2011).

Assumir a editora universitária como setor estratégico significa repensar o seu papel tradicional de apenas editar livros, que, via de regra, não têm a circulação devida. Conforme Córdoba Restrepo (2015, p. 35),[1] dentre outras funções de uma editora, deveria estar a promoção da discussão, o debate e a comparação do conteúdo que edita. Ademais, deve propor caminhos para que aquilo que produz o alcance pedagógico chegue à aula de forma dinâmica e eficiente. O referido autor acrescenta que os desafios postos para a universidade induzem a arriscar-se a pensar a editora como uma instância da Universidade que, além da edição de conteúdos, participa do debate sobre as questões acadêmicas, articulando, assim, os editores, os investigadores, os autores, os estudantes e leitores em geral.

Nesse sentido, as editoras universitárias precisam trabalhar na perspectiva de definir quais são os conteúdos pertinentes para publicação no formato de livro, garantindo as condições de qualidade, de forma que estes livros sejam reconhecidos nacional e internacionalmente. Também é necessário refletir sobre seu impacto na formação dos estudantes de graduação e pós-graduação, na pesquisa que desenvolvem os diferentes membros da comunidade acadêmica e no trabalho de extensão, valorizando o recurso público investido. Isso significa que a editora e os autores, potenciais e reais, precisam estar unidos nessa reflexão.

Não basta publicar, é necessário antes de fazê-lo, ficar claro a que segmento se destina a obra, qual tipo de público pode se beneficiar, enfim, se há real interesse por sua publicação.  Assim, a editora escuta a comunidade, trabalha de forma interdisciplinar com os diversos segmentos (pró-reitorias, assessorias, departamentos, sistema de bibliotecas, programas de pós-graduação, centros de pesquisa, grupos de pesquisa etc.), fomentando o ensino, a pesquisa e a extensão.

Em síntese, sem abandonar a tarefa historicamente definida, qual seja de garantir a edição e circulação de publicações de qualidade, a editora universitária pode e deve contribuir para sensibilizar e apoiar os potenciais leitores de suas publicações, por meio de análises e debates e, também, de estratégias tecnológicas sobre o conteúdo dos materiais editados, com vistas a ampliar o horizonte do conhecimento, a partir da compreensão da necessidade de articulação entre informação, conhecimento, pensamento crítico, inclusão e tolerância que derivam em sabedoria.[2]

MISSÃO DA EDUNEB

Diante desses pressupostos, propõe-se disseminar ideias e conhecimentos por meio de publicações de qualidade, de natureza técnica, didática e científica, e difundi-las mediante ações extensionistas, inovadoras de divulgação, sensibilização de docentes, discentes e do público em geral, particularmente, nas comunidades onde estão situados os campi da universidade, fomentando a competência da leitura compreensiva e emancipatória.

Nesse sentido, compreende-se que tais pressupostos contribuem para a consolidação de uma editora cujo papel ultrapasse o âmbito da edição do livro apenas, para, a partir de um cunho profissional e dinâmico, consolidar também sua função social, permitindo novas leituras e escritas do mundo da contemporaneidade e, consequentemente, a politização e o empoderamento dos seus sujeitos.

A implementação de tal missão se apoiará em alguns eixos e linhas de ação, descritos a seguir:

 

EIXO 1 – EDIÇÃO DE LIVROS TÉCNICOS, DIDÁTICOS E CIENTÍFICOS

 

PRINCIPAIS LINHAS EDITORIAIS

DO SELO EDUNEB

1.1 Livros didáticos – obras destinadas a favorecer as atividades de ensino de graduação e de pós-graduação, de extensão e de formação do docente universitário.

1.2 Livros técnicos – que consolidem informações e auxiliem o desenvolvimento de atividades profissionais, a exemplo de guias, manuais, dicionários, inventários etc.

1.3 Livros científicos – obras de divulgação do conhecimento científico (oriundo de pesquisa), com potencial impacto no ensino, na pesquisa e na extensão.

1.4 Traduções – obras publicadas em outra língua que são consideradas fundamentais para o ensino de graduação e de pós-graduação e para os estudos desenvolvidos pelos professores e pesquisadores da UNEB.

 1.5 Séries e coleções

Serão consolidadas as Séries e Coleções existentes, direcionando originais aprovados de acordo com o escopo de cada uma delas. Essas Séries (com número indefinido de publicações) e Coleções (com número de publicações predeterminado) foram criadas em comum acordo entre a editora, programas de pós-graduação e grupos ou centros de pesquisa. Outras Séries e Coleções poderão ser criadas desde que atendam aos critérios de qualidade estabelecidos pelas normas editoriais para publicação de originais e que, no momento da sua criação, já tenham três edições prontas, de forma a garantir a periodicidade. Como também, algumas destas aqui descritas, poderão deixar de fazer parte do rol de publicações, caso deixem de atender aos respectivos critérios.

  • Coleção Nordestina – Composta de títulos que contribuam para a divulgação da cultura nordestina e do pensamento de pessoas de destaque na região, especialmente da Bahia, na medida em que outras editoras universitárias da região Nordeste, filiadas à Associação Brasileira de Editoras Universitárias (ABEU) também participam divulgando as obras de seus estados. A meta é publicar um livro por ano.
  • Série Práxis e Docência Universitária – Tem como objetivo contribuir para o aprofundamento da compreensão sobre a complexidade da docência universitária e para a sua formação no âmbito pedagógico, mediante a divulgação de relatos reflexivos e fundamentados de práticas educativas inovadoras, as quais buscam superar as deficiências causadas pela fragmentação do conhecimento assimilado de forma passiva pelos estudantes através de métodos tradicionais de ensino.  São, portanto, práticas que têm como ponto de partida a problematização e como destaque a produção, com a potencialidade de desenvolver a crítica; a argumentação; a pesquisa; a análise; a produção individual e coletiva e a criação, favorecendo a construção da autonomia e iniciativa, elementos essenciais para a formação de futuros profissionais capazes de lidar com a incerteza e a complexidade. Configuram-se como leitura inspiradora para todos os docentes universitários.
  • Crítica cultural – Apresenta a produção acadêmica do corpo docente e discente do Programa de Pós-graduação em Crítica Cultural (Pós Crítica). Temas centrais no debate sobre a cultura contemporânea, tais como raça, gênero, sexualidade, literatura não canônica, processo de letramento, espaço e territorialidade, são tratados sob o viés de variados campos disciplinares, embora o campo das Letras e Linguística predomine nos trabalhos.
  • Pesquisa (Auto) Biográfica – temas transversais oferece à comunidade científica os avanços mais recentes da Pesquisa (Auto) Biográfica, propostos  por pesquisadores que vêm consolidando essa jovem ciência em países das Américas e da Europa. Os livros da Coleção verticalizam debates sobre o estatuto epistemológico das fontes biográficas e autobiográficas, seus potenciais teórico-metodológicos e suas contribuições para a produção do conhecimento em diferentes áreas das Ciências Humanas e Sociais, mais especificamente em Educação.

O recebimento de originais por este selo dá-se por meio de editais da própria editora ou externos.

 

DO SELO UNIVERSALIS EDIÇÕES

Este selo envolve a publicação de livros com recursos próprios do autor ou de setores da UNEB responsáveis pela obra e proponentes da publicação, ou provenientes de captação externa e/ou com distribuição gratuita, oriundas de documentos institucionais, que apresentem resultados de projetos de pesquisa, ensino (a exemplo de módulos didáticos) e extensão (a exemplo de cartilhas), e decorrentes de eventos científicos e acadêmicos. Ainda outros tipos de obras como contos e romances, poesias, literatura infantil, dentre outros gêneros, que serão submetidos à avaliação de Comitê Editorial específico do selo.

COEDIÇÕES

Parcerias com outras editoras universitárias, a fim de valorizar a produção local e ampliar seu potencial de circulação e venda. As coletâneas que envolvam docentes e pesquisadores de outras instituições possuem um potencial maior para a coedição entre a EDUNEB e a editora da universidade de alguns de seus autores. A coedição pode e deve ser buscada tanto pelos autores quanto pela EDUNEB.

 

GARANTIA DA QUALIDADE DAS PUBLICAÇÕES – CONSELHO E COMITÊ EDITORIAIS

A qualidade do conteúdo e da expressão linguística será assegurada mediante o trabalho de avaliação por pareceristas, doutores especialistas na área a qual está vinculado o livro em potencial, indicados pelo Conselho/Comitê Editorial. O barema, elaborado pela Editora da UNEB, contribui para a análise minuciosa do texto pelos especialistas, e aborda vários aspectos, tais como: relevância e qualidade do conteúdo, correção gramatical, fundamentação teórica, atualidade do tema, público-alvo e potencial perante outras obras similares já publicadas e ativas no mercado, dentre outros. A metodologia a ser desenvolvida contempla a avaliação de pareceristas para cada original. O ISBN da EDUNEB só será atribuído à obra que for recomendada para publicação pelos pareceristas e aprovada pelo Conselho Editorial, tendo em vista que um processo editorial cuidadoso e profissional agregará valor a cada publicação. O Conselho Editorial (selo EDUNEB) e o Comitê Editorial (UNIVERSALIS Edições) são órgãos consultivos e deliberativos da Editora da UNEB, responsáveis por definir a política editorial da universidade, analisar e aprovar os originais, aprovar o plano anual de atividades da editora, bem como seu relatório anual.

TIPOS DE SUPORTE DAS PUBLICAÇÕES

As publicações poderão ser em suporte impresso e/ou eletrônico. No que concerne a esse último, atualmente, o mais indicado é o eBook, com a utilização do formato ePub, que possibilita uma leitura mais confortável e o leitor pode ajustar tamanho e tipo da fonte que julgar mais adequado em seu dispositivo. De modo diferente do pdf, que é um formato estático, o ePub pode agregar conteúdo com imagem em movimento e som. Outros suportes e formatos mais eficientes e modernos poderão ser adotados com o intuito de melhor disponibilização de meio eletrônico. Com a criação do Repositório Institucional (RI) da UNEB, o Conselho Editorial definirá a política que adotará para o acesso aberto em relação à produção da editora.

REIMPRESSÃO SOB DEMANDA

Pretende-se viabilizar as condições para, em curto prazo, realizar a reimpressão de livros esgotados, usando o sistema de impressão por demanda, em quantidades reduzidas ajustadas à necessidade evidenciada pelo autor, no caso de adoções do livro, por exemplo, e de comum acordo com a editora que analisará a circulação dos exemplares, considerando a tiragem/ano e a impressão/ano em que se esgotou, para evitar estoques elevados.

 

EIXO 2 – ESTRATÉGIAS DE DISSEMINAÇÃO, DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DAS OBRAS

A implementação desse eixo pressupõe a identificação do público-alvo pelos autores e pela editora em resposta às questões: a que público se destina; onde eles estão; quais as suas necessidades e anseios; como podemos alcançá-los.

Aspectos que contribuem para a disseminação e comercialização do livro:

  • a notoriedade e reconhecimento do autor;
  • o tema abordado;
  • a consistência e caráter inovador do conteúdo;
  • estrutura harmônica dos capítulos;
  • design da capa e miolo (adequação de fonte, entrelinha, margens);
  • a qualidade dos textos de orelha e quarta capa;
  • autor do prefácio;
  • os comentários de boca a boca;
  • linguagem apropriada;
  • qualidade gráfica (impressão e acabamento);
  • outros.

Vale acrescentar que a profissionalização do processo de comercialização depende da criação do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) da editora, aspecto que merecerá grande empenho de diversos órgãos da UNEB para a sua obtenção.

Ressalte-se que identificar formas e nichos para divulgação e venda dos livros em estoque na editora, mediante parceria com os autores, participação em eventos da área, promoção semanal/mensal etc., constitui-se também numa importante maneira de distribuição e comercialização dos mesmos.

 

PRINCIPAIS MEIOS DE DIVULGAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO

  • Divulgação através das redes sociais (Facebook, Twiter, Instagram, Linkedin, Blog da editora e do autor etc.), lista de e-mails, Youtube com vídeo do autor falando sobre a obra e comentários de terceiros, especialistas ou não na área de conhecimento da publicação.
  • Release da editora que deve ser encaminhado a rádios, jornais e TVs.
  • Livraria da EDUNEB no campus I – divulgação de sua existência, melhorias na sinalização, dinamização de seu funcionamento, viabilização de um espaço para o leitor. Adoção de ações semelhantes pela livraria sediada no campus de Alagoinhas.
  • Implantação de totens em todos os campi na UNEB, com informações da livraria virtual e de como adquirir os produtos da EDUNEB.
  • Organização e participação em feiras, bienais de livro na Bahia, no Brasil e em outros países, a partir do apoio da Associação Brasileira de Editoras Universitárias (ABEU).
  • Internacionalização das produções da EDUNEB por meio de divulgação e estratégias de venda da produção, bem como, quando oportuno, a partir de propostas recebidas, também após análise e critérios estabelecidos, tradução do português para outra língua de algumas obras da EDUNEB.
  • Exposição e/ou lançamento em eventos científicos específicos relacionados à obra, indicados à EDUNEB com antecedência pelos autores e apoiados pela ABEU.
  • Café científico.
  • Além da venda do livro, quando for o caso, em articulação com o autor, organizar cursos de extensão sobre o seu conteúdo.
  • Organização, em conjunto com autores, de Seminários e Simpósios com vistas à discussão de temas abordados em obras da EDUNEB, promovendo lançamentos, momentos de autógrafos e apresentação da obra.
  • Realização de pesquisas junto aos leitores sobre a obra, conteúdo e forma, dúvidas e questões provocadas pela leitura.
  • Investimento no Repositório Institucional.

EIXO 3 – AÇÕES VOLTADAS PARA FORMAÇÃO DO LEITOR E DO ESCRITOR E FORMAÇÃO DE MEDIADORES DE INCENTIVO À LEITURA

Articulação com as bibliotecas, colegiados de cursos de Letras, Pedagogia e outros setores dos departamentos da UNEB, para a realização de oficinas de leitura e produção textual como forma de trabalho de extensão. Tais ações implicarão no investimento para a formação dos nossos alunos como leitores, a fim de que se tornem capazes também de promover o incentivo à leitura, contribuindo para a formação de cidadãos leitores, críticos e agentes na construção do meio sociocultural.

EIXO 4 – CONSOLIDAÇÃO DA INFRAESTRUTURA E DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA E DE PESSOAL DA EDUNEB

  • Busca de caminhos jurídicos e administrativos que possibilitem uma melhor comercialização e distribuição dos exemplares.
  • Fortalecimento da equipe da EDUNEB, contemplando e priorizando contratações/transferências/disponibilização de um corpo técnico com o intuito de suprir as necessidades para o desempenho de funções que fazem parte do fluxo do trabalho editorial.
  • Investimento na capacitação da equipe de designers, especialmente com vistas à adoção de novos suportes tecnológicos (eBook, por exemplo).
  • Busca de alternativas para contratação de empresa a fim de promover a execução de serviços que excedam a capacidade da equipe da editora.
  •  Aquisição de software de controle editorial que permita o acompanhamento da obra desde sua entrada na editora até a venda – com a finalidade de garantir a celeridade e a qualidade do processo de produção editorial.
  • Ampliação do Conselho Editorial do selo EDUNEB, buscando contemplar a representação de diversas áreas de conhecimento da CAPES, priorizando conselheiros com experiência de publicação como autor e com perfil de leitor.
  • Estruturação de banco de pareceristas, com acompanhamento e avaliação sistemática do seu trabalho pela editora.
  • Aprimoramento do Portal EDUNEB, com ampliação de espaço para apresentação (inclusive em vídeos) de autores e obras, dentre outras possibilidades de interação e informação.
  • Incorporar estagiários das áreas de Letras, Comunicação, Design, Administração, Pedagogia, dentre outras à equipe da EDUNEB para atuação nas áreas de preparação, revisão, diagramação, divulgação, dentre outras.
  • Estruturação de equipe de revisão linguístico-textual e de normalização com funcionários disponibilizados à própria editora, inclusive por meio de contratação de empresas terceirizadas.

[1] CÓRDOBA RESTREPO, Juan Felipe. Las instituciones de educación superior: el editor universitário aportes para redefinir su papel. Verbo, São Paulo, n. 11, p. 37-40, jan./jun. 2015.

[2] Ibid., p. 39.